h3.jpg

SUMÁRIO 2017

FAMILY FILM PROJECT 2017

6º Festival Internacional de Filmes de Família, Etnografia e Arquivo

15 a 19 de novembro | Porto | Passos Manuel, Maus Hábitos e Faculdade de Letras 

 

O Family Film Project – Festival Internacional de Filmes de Família, Etnografia e Arquivo – retorna para a sua 6ª edição com um programa que incluirá sessões competitivas de cinema, eventos performativos, conferências e um ciclo de cinema autoral.

O Festival decorrerá ao longo de cinco dias de programação – 15 a 19 de novembro de 2017 –, retomando, uma vez mais, o universo cinematográfico da intimidade, do espaço familiar e da reconstrução da memória – imaginários que têm hoje a sua máxima expressão, seja pela disseminação dos dispositivos da imagem e dos novos suportes mediáticos, seja por aquilo que Derrida apelidou de «febre do arquivo» (mal d’archive) ao descrever o espírito da modernidade.

Regina Guimarães será a realizadora convidada desta edição do festival. Um nome incontornável da vida cultural do Porto, com uma vasta obra poética que tantas vezes recorre à imagem e à linguagem da imagem e à marginalidade da imagem. As sessões de abertura e encerramento do festival ser-lhe-ão ambas dedicadas, com apresentações de vários filmes seus selecionados e com a sua presença.

Andrzej Marzec, Catarina Mourão, Efrén Cuevas e Fernanda Fragateiro serão os conferencistas convidados do colóquio com o título “Unframing Archives”, propondo explorar as margens do arquivo e a desconstrução dessas margens: arquivos sem moldura. Tal como em edições passadas, o colóquio deste ano, a ter lugar no dia 16 de novembro, insere-se numa parceria com o Grupo de Investigação Estética, Política e Conhecimento do Instituto de Filosofia da Universidade do Porto.

Na noite de 17 de novembro, haverá também um concerto-instalação com o grupo Haarvöl, composto por Fernando José Pereira, João Faria e Rui Manuel Vieira. Com uma carga fortemente concetual assente em processos heterodoxos de construção musical, o trio explora sonoridades de caráter eminentemente eletrónico e experimental.

Esta edição do festival incluirá ainda um conjunto variado de performances, incluindo um jantar-performance. Contará com nomes como Cristina Mateus, Isabel Barros, Joclécio Azevedo, Marianne Baillot, Rebecca Moradalizadeh e Susana Chiocca.

Tal como nos anos anteriores, as sessões da programação competitiva dividem-se em três zonas temáticas: Vidas e Lugares (com enfoque no registo voyeurístico, biográfico ou documental de habitats e quotidianos), Memória e Arquivo (dedicada a olhares criativos a partir de testemunhos e de found footage) e Ligações (centrada nas dinâmicas interpessoais e comunitárias). Haverá ainda uma sessão competitiva autónoma dedicada à Ficção, com uma seleção de curtas-metragens de diferentes nacionalidades.

(O programa detalhado será anunciado em breve).