On Exile, fragments in search of meaning

José Carlos Teixeira

2017 | Estados Unidos da América | DOC | 47 '

On Exile, fragments in search of a meaning é um filme experimental que analisa o fenómeno da depressão como um processo radical de alteridade, estranhamento e exílio de si mesmo, provocando relações empáticas do espectador. Como antropologia da doença mental, este projeto vai de encontro à vulnerabilidade humana e as múltiplas identidades que nos habitam e nos perseguem. Dez pessoas partilham de bom grado as suas próprias histórias e sentimentos sobre a depressão, os seus momentos mais sombrios e as formas como lidam com isso. Através de uma abordagem documental, criam-se retratos psicológicos, reforçados por um segundo momento performativo em que cada entrevistado entra numa jornada catártica, ouvindo uma música que escolheu anteriormente. Embora isolados, os participantes compõem uma polifonia de sofrimento e esperança final. É num estado metafórico de exílio da terra da normalidade e da felicidade (como construções sociais e pessoais), que o indivíduo deprimido se constroi – e é para esse lugar idealizado que ele finalmente deseja regressar. O referente do trabalho é a dor inimaginável que constitui a depressão grave, uma dimensão que resiste à definição. Excluídos do mundo visível, há um grande mal-entendido e um estigma em torno da doença. Além disso, parece haver um déficit na sua representação. On Exile é inevitavelmente uma tentativa imperfeita de capturar essa experiência e uma oportunidade para exercer empatia. O que está em jogo no trabalho com esses indivíduos é a abertura de um espaço onde a doença mental não é expulsa das práticas visuais e discursivas, ou oculto no politicamente correto.

ver trailer
biografia

José Carlos Teixeira (n. 1977, Portugal) é um artista visual, investigador e realizador. O seu trabalho tem sido mostrado internacionalmente em locais como o Hammer Museum, LACE (Los Angeles), Armory Center for the Arts (Pasadena), Museum of the City of New York, Residency Unlimited (NY), SPACES, MOCA (Cleveland), Peter B. Lewis Center for the Arts (Princeton), Württembergischer Kunstverein (Stuttgart), Rosalux, DAZ (Berlin), 104 Cent Quatre (Paris), National Center for Contemporary Art (Moscow), M. K. Ciurlionis National Museum (Kaunas), Hélio Centro de Arte Oiticica (Rio de Janeiro), Centro Cultural SP (São Paulo), Fundação Oriente (Macau), Fundação Gulbenkian, Fundação Carmona e Costa, Carpe Diem (Lisboa), Museu FBAUP e Museu Soares dos Reis (Porto), apenas citando alguns. Mostrou recentes exposições individuais no Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia MAAT (Lisboa) e MMOCA Madison Museum of Contemporary Art. José Carlos Teixeira mostra o seu trabalho principalmente no mundo da arte, mas também em festivais como o Rencontres Internationales Paris / Berlim, Correntes: Santa Fe International New Media Festival, Athens International Film and Video Festival, Silverlake Film Festival, LA Freewaves, Arthouse Asia, Respect Film Festival, entre outros. Foi galardoado com o Prémio do Júri do Festival FUSO 2011 e com a nomeação do Prémio EDP Novos Artistas de 2005. Além disso, José CarlosTeixeira foi um cineasta em residência na famosa Akademie Schloss Solitude (Alemanha), na MacDowell Colony e no Headlands Center for the Arts, nos Estados Unidos. É detentor de mestrado pela UCLA e atualmente leciona na UW-Madison (EUA).

voltar