Scheherazade or (Per)forming the Archive

Muriel Hasbun

2016 | Estados Unidos da América | EXP | 14 '

Scheherazade é uma meditação autobiográfica e performativa sobre ser artista e sobre a transmissão intergeracional da história cultural na construção da identidade. Afirmando a presença do corpo do "Outro", aos batimentos cardíacos do meu filho no útero juntam-se os últimos suspiros da minha mãe. Pouco antes de deixar El Salvador, fui convidado a dançar Scheherazade pelo artista Julio Sequeira. Na época, eu não tinha ideia da bravura de Scheherazade ou da sua imaginação fantástica. Eu só me concentrava nos tons sensuais e eróticos que a música de Rimsky Korsakov conjurava com seu violino lânguido e sinos que me atormentavam. Senti-me sufocada pelo olhar orientalista. Não consegui dançar. Em 2006, alguns anos após o falecimento do meu pai, lembrei-me da minha adolescente Scheherazade e decidi desempenhar a Scheherazade com as minhas regras. Como a mítica Scheherazade, o contar de histórias garantiria a minha sobrevivência e me libertaria. Mas o vídeo parecia inacabado. Este ano, três anos volvidos após a morte da minha mãe, estou (per)formando-a novamente, refletindo sobre as traduções, as contradições, a passagem do tempo.

biografia

A mestria de Muriel Hasbun como artista e como educador concentra-se em questões de identidade cultural, migração e memória. Os prémios e as distinções recebidas por Hasbun incluem: o CENTER’s Curator’s Choice, Smithsonian Artist Research Fellowship, the Howard Chapnick Grant/W. Eugene Smith Memorial Fund; Maryland State Arts Council Individual Artist Awards in Photography and in Media; U.S. Department of State/AAM Museums Connect grant; artista residente no Centro Cultural de España, San Salvador e na Escuela de Bellas Artes, San Miguel de Allende, Mexico; Corcoran’s Outstanding Creative Research Faculty Award, e uma bolsa Fulbright. O trabalho de Hasbun foi exibido internacionalmente: PINTA Miami, Projetos de Arte Civil, Museu Universitário Americano, Centro Cultural de Espanha, Museu Maier de Arte, Obra de Luz, Instituto Cultural Mexicano, Centro Cultural Recoleta, Museu de Arte Fotográfica, FotoFest, Corcoran Gallery of Art, 50ª Bienal de Veneza, Centro de la Imagen, Museu de l'Arles Antique no Rencontres Internationales de la Photographie d'Arles. Igualmente, as suas fotografias estão em inúmeras coleções públicas e privadas, incluindo o Museu de Arte das Américas, Banco de Arte do Distrito de Columbia, En Foco, Universidade de Lehigh, Museu do Bairro, Museu de Arte Americana Smithsonian, Universidade do Texas-Austin e na Biblioteca Nacional de França. Com base na sua carreira como artista socialmente empenhada e professora de fotografia, ela é atualmente fundadora e diretora dos projetos laberinto, uma iniciativa de memória cultural transnacional que promove práticas de arte contemporânea, inclusão social e diálogo em El Salvador e na diáspora americana.

voltar