SESSÕES 

PROGRAMA / SESSÃO 1

DIA 5 | 15H00 >18H00

ARDIL
SEMIH KORHAN GÚNGER

 F | 14’ | 2013 | Turquia

No seguimento de uma chamada telefónica inesperada, duas irmãs ficam a saber que terão de viver com a avó. E reagem negativamente. Tentam depois persuadir a sua mãe a não irem viver com a avó. Assim a mãe começa a questionar a sua posição em termos da vida e da morte. Por outro lado ela nota que o amor entre elas acabou.

SEMIH KORHAN GÚNGER
Nasceu em Eskisehir em 1984. Deixou a escola e começou uma vida de negócios. Depois de acabar o ensino secundário à distância, entrou para a universidade de Marmara, De- partamento de Comunicação, Rádio, TV e Cinema, onde continua a sua formação.
He was born in Eskisehir in 1984. He left school and started business life. After that he graduated high school of distant education, he achieved to enter Mar- mara University, Faculty of Communication Department of Radio TV & Cinema and he is continuing his education life.

SUMMER FALL
MARINA ROSHCHYNA 

 F | 24’ | 2013 | Ucrânia

Todo o rapaz tem o seu dia. O dia em que lhe parece que se tornou um homem. O que é preciso para acordar o adulto dentro de um jovem? Andrew é um rapaz jovem que vive com a sua mãe numa cidade pequena. Depois de uma viagem rara para ver o seu pai, sente que chegou o tempo para reger o seu destino.

MARINA ROSHCHYNA 

Maryna Roshchyna nasceu em Dresden, Alemanha, em 1988. Estudou realização cinematográfica na Karpenko-Kary Kyiv National University of Theatre, Film and Tele- vision.

GATA MÁ
EVA MENDES, JOANA DE ROSA, SARA AUGUSTO

A | 5’ | 2013 | Portugal

Recorrendo a uma técnica mista de stop motion e animação tradicional, “Gata Má” con- ta-nos a história de uma menina diferente, cujos melhores amigos são gatos. Baseada em factos reais, a narrativa reflecte sobre um tema de difícil abordagem, num equilí- brio precário entre a alegria e o conflito interior.

EVA MENDES

Eva Mendes é Mestre em Ilustração pela Escola Superior Artística do Porto, Guimarães. Terminou Licenciatura em Artes Plásticas - Escultura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (2009) e foi bolseira Erasmus na Accademia di Belle Arti di Brera em Milão, Itália. Entre 2011/12 desenvolveu o projecto de ilustração Porticus em colabo- ração com o Teatro Nacional de S. João. Trabalha como ilustradora com a Companhia de Teatro Cão Danado.

JOANA DE ROSA

Joana de Rosa é mestre em Ilustração pela Escola Superior Artística do Porto, tendo o seu trabalho representado na colecção do Museu Militar do Porto. Licenciou-se em Escultura na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto e atualmente trabalha como ilustradora freelancer.

SARA AUGUSTO

Sara Augusto licenciada em Artes Plásticas Multimédia pela Faculdade de Belas artes da Universidade do Porto, desenvolve trabalho no campo da criação artística e audio- visual. Colabora actualmente com a Companhia de Teatro Cão Danado na criação e op- eração de conteúdos multimédia.

MIRUNA
PIOTR SULKOWSK

F | 20’ | 2013 | Polónia

Depois de uma discussão com o seu amante, uma jovem mulher entra no carro esta- cionado de um misterioso desconhecido. O seu breve encontro levará a uma atracão mútua, façanha perspicaz e fatal, durante a viagem até ao fim da noite. Através de um labirinto de coloridos flashbacks, confusamente relacionados com o passado doloroso da personagem principal, o destino da jovem mulher está inevitavelmente relacionado com um peixe imaginário.

PIOTR SULKOWSK

Piotr nasceu em Setembro de 1983. Licenciou-se em Etnologia na Universidade de Varsóvia e estudou no National Polish Film School em Lodz.

A LANDSCAPE OF FAILURE
MIGUEL BONNEVILLE

E/V | 4’ | 2008 | Portugal

Inevitavelmente ligado a uma sensação de liberdade e a um sentimento de desespero. Inevitavelmente ligado a ti. Haverá sempre esta ligação entre ela, tu e eu. Haverá sem- pre um trauma que me ligará a ti. E hoje posso ver reflectida nele uma paisagem de fracasso que reconheço e a que me dedico repetidamente.

MIGUEL BONNEVILLE

Nasceu no Porto em 1985. Concluiu o curso de Interpretação na Academia Contem- porânea do Espectáculo, o curso de Artes Visuais pela Fundação Calouste Gulbenkian e o curso Autobiografias, Histórias de Vida e Vida de Artistas pelo CIES-ISCTE. Através de performances, vídeos, desenhos, fotografia, música, livros de artista, Miguel Bonne- ville introduz-nos a histórias autobiográficas centradas na destruição e reconstrução de identidades. Bonneville apresenta o seu trabalho em galerias de arte e festivais na- cionais e internacionais, sobretudo os projectos ‘Filme Project’ e ‘Miguel Bonneville’, nomeadamente em Espanha, Alemanha, Polónia, Estónia, Itália, Argentina, EUA, China.

UMA VIDA MAIS SIMPLES
INÊS ALVES

DOC/V | 38’ | 2013 | Portugal

A vida de uma família em África, entre os anos 50 e 70, contada a partir de imagens de arquivo filmadas em 8mm.

INÊS ALVES

Após a licenciatura em Novas Tecnologias da Comunicação pela Universidade de Aveiro e um curso de Produção para Cinema, concluiu, com a tese “As relações entre o cinema neo-realista italiano e os três filmes portugueses: Nazaré, Dom Roberto e Os Verdes Anos”, o mestrado internacional “As Humanidades na Europa: Convergências e Aber- turas” pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, com um semestre na Universidade de Santiago de Compostela em Espanha e um semes- tre na Universidade Degli Studi di Bergamo em Itália. Fez um estágio na associação cul- tural Os Filhos de Lumière, dando apoio à produção e realização de ateliers práticos de sensibilização ao cinema para crianças e jovens. Actualmente encontra-se em Berlim a realizar um estágio na revista Berlinda, uma magazine cultural de Berlim e o mundo de língua portuguesa. À parte das pequenas curtas-metragens experimentais que rea- lizou, Uma Vida Mais Simples é o seu primeiro trabalho filmográfico.

ANA and SAIHOU - EINE LIEBESGESCHICHTE
DENISE DISMER

DOC/V | 43’ | 2013 | Alemanha 

Saihou é um refugiado político da Gâmbia a viver na Alemanha. Sonha em casa com a sua namorada Anna, mas as autoridades recusam emitir os documentos necessários. Depois chegam as notícias chocantes: Saihou vai der deportado ...

DENISE DISMER

Denise Dismer nasceu em 1975 e é licenciada em Filologia Romana e Jornalismo na Freie Universität Berlin. Começou a sua carreira a escrever para um jornais e revistas. Agora tem trabalhado por mais de dez anos na televisão como repórter para vários canais públicos. “Anna & Saihou” é o seu primeiro filme documentário.

TIO RUI
MÁRIO MACEDO

DOC/V | 32’ | 2011 | Portugal

O tio Rui tem de voltar. Depois de quase 72 horas em liberdade, o filme acompanha-o nos seus últimos momentos antes do regresso. Um retrato pessoal do realizador sobre o seu tio, toda a família que o rodeia e o tempo.

MÁRIO MACEDO

Nascido em 1989 numa pequena aldeia no Norte de Portugal, licenciou-se em Som e Imagem em 2010, mudou-se para a Dinamarca para prosseguir os estudos no European Film College. Pertence agora ao colectivo 73, sediado em Copenhaga, onde desenvolve novos projectos relacionado com filme, tanto ficção como documentário e vídeos mu- sicais. Trabalha também como crítico de cinema para um site português. Os seus últi- mos filmes são Tio Rui e TheComplex of Elvin Theodor.

PROGRAMA / SESSÃO 3

DIA 6 | 15H00 >18H00

LUZ DA MANHÃ
CLÁUDIA VAREJÃO

F | 18’ | 2011 | Portugal

Luz da Manhã fecha um círculo de três curtas metragens de Cláudia Varejão sobre o (des)encontro em família. Onde nem sempre os caminhos coincidem e as rupturas inesperadas não são necessariamente resultado de uma falha. O quotidiano oculta forças maiores e silenciosas. E o seu entendimento apresenta-se muitas vezes como uma tarefa demasiado violenta ou até, inútil. Seja qual for o olhar que se permite viver, a transcendência das relações humanas estará sempre lá, frontal, inabalável e bruta. Luz da Manhã aproxima-se da distância entre três gerações, mãe, filha e neta. Num denso rio que as une, sem motivo aparente para além da exaustão, uma fenda emerge.

CLÁUDIA VAREJÃO

Nascida no Porto em 1980. Começou os seus estudos em cinema em Lisboa, primeiro como operador de câmara e mais tarde frequentou o curso de realização na Resart. Realizou também um curso intensivo em realização cinematográfica na International Film Academy em São Paulo e frequentou estudos avançados em cinema com German Film und Fernsehakademie Berlin, parte do Calouste Gulbenkian Foundation’s Creativity Program.

CONTO DO VENTO
CÁUDIO JORDÃO e NELSON MARTINS

A | 12’ | 2010 | Portugal

Salva tinha o dom de sentir a vida da natureza percorrer-lhe o corpo. Vivia na Floresta do outro lado do rio com Ábia sua mãe e era feliz, até ao dia em que a sua vida mudou. Os homens e mulheres da aldeia obrigaram-na a assistir à queima de sua mãe acusada de Bruxaria. Anos mais tarde o medo que os aldeões tinham à sua mãe é o mesmo que os move contra ela.

CLÁUDIO JORDÃO

Cláudio Jordão nasceu em 1972 em Olhão, Portugal. Formado em Design pela Universidade do Algarve, onde leccionou, criou em 1997 a empresa multimédia PANTAPOIEIN. Em 2003 iniciou a colaboração com a agência de publicidade FOOTE CONE & BELDING – Portugal como motion designer, tendo vindo a realizar vários filmes publicitários.

NELSON MARTINS

Nelson Martins nasceu em 1972, em Jamba, Angola. Licenciado em Design e Comunicação pela Universidade do Algarve. Realizador de alguns spots comerciais, videoclips, ilustração animada para a TV e websites. Realizador e Produtor na Empresa KotoStudios.

CAFÉ
ALEX GOZBLAU e JOÃO FAZENDA

A | 7’ | 2009 | Portugal

Um ritual de três décadas – uma cafetaria –, uma mãe vidente, um pai distante e uma família excessivamente ruidosa.

ALEX FOZBLAU

Alex Gozblau nasceu em 1971. Realizador, argumentista, elabora ilustração para im- prensa e livros, pintura, cinema de animação, publicidade, design para livros, teatro e rádio.

JOÃO FAZENDA 

João Fazenda nasceu em 1979. Vive e trabalha entre Lisboa e Londres. Estudou Artes Gráficas na António Arroio e é licenciado em Pintura pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa. Participou em diversas exposições individuais e colectivas em Portugal, Es- panha, França, Córsega, Suíça e Itália. Ganhou vários prémios em concursos de banda desenhada, com destaque para o Melhor Álbum Português do Ano de 2001 no Festival Internacional de BD da Amadora; foi premiado na área da ilustração no concurso Jo- vens Criadores em 2004 e foi distinguido por várias vezes com Awards of Excellence pela Society of Newspaper Design com ilustrações realizadas para o jornal Público. Vencedor do Grande Prémio Stuart de Desenho de Imprensa 2007.

TENGRI
ALISI TELENGUT

A/E | 6’ | 2012 | Canadá 

Enterro de vento, influenciado pelo xamanismo, é uma antiga tradição da Mongólia. Quando alguém morre, o cadáver é carregado num carro até uma lomba causar a queda deste. O lugar onde o cadáver cai torna-se um túmulo simples.

ALISI TELENGUT

Alisi Telengut nascida em 1989 é licenciada em Animação Fílmica e está a frequentar um mestrado em Produção Fílmica na Mel Hoppenheim School of Cinema, Concordia University. Ela explora a animação com uma ténica por debaixo da câmara através da pintura, cores e texturas.

NOUS SOMMES TOUS DES ÊTRES PENCHÉS
SIMON LELOUCH

F| 27’| 2013 | França

Nós somos todos seres que se encostam. Esta é a nossa forma de estarmos de pé. O filho do Buffalo Bill não dispara tão bem como o seu pai, mas ele treina. Talvez o Paulo corte cabelos tão bem como o seu pai, mas para assim ser, o seu pai teria de lhe ter dado a oportunidade, ou pelo menos, vê-lo. Duas lutas diferentes, dois tempos diferentes, por um mesmo impulso de ser reconhecido, duas histórias diferentes que nunca param de se encadear.

SIMON LELOUCH

Simon Lelouch tem trabalhado como assistente de realização com Jean-Marie Poiré, Philippe de Broca, Claude Lelouch, Didier Kaminka, Patrick Braoudé, Pierre Etaix... Re- alizou várias curtas metragens, apresentadas e premiadas em festivais, realizou cerca de 30 anúncios para marcas internacionais e co-produziu o filme «Entre Adultes». Tam- bém promoveu no mercado francês o conhecido filme “L’argent dette” de Paul Grignon, com downloads na internet superiores a 40 milhões.

THE FIRE
ARTEM VOLCHKOV

 F | 25’ | 2013 | Rússia

O filho de um padre do campo foge da sua casa depois de uma discussão com o pai, mas ele é forçado a regressar para salvar a sua família.

ARTEM VOLCHKOV

Artem Volchkov nasceu a 22 de Janiero de 1988, em Lytkarino, na região de Moscovo. Depois da conclusão do ensino secundário, entre 2005 e 2008, estuda no Engineering Physics Institute em Moscovo. Em 2008 concorre ao State Institute of Cinematography e é seleccionado para a Faculdade de Realização Cinematográfica, Abdrashitov’s workshop.

GO BURNING ATACAMA GO
ALBERTO GEMMI

E/FF | 6’ | 2012 | Itália 

Go Burning Atacama Go é uma reflexão sobre o conceito de memória e tempo depois da violenta partida de um amigo. Imagens negadas que viajam num estado de perce- pção gasoso e lírico, através da elaboração do erro cinematográfico. Um filme sobre a transparência extasiada como uma maneira de atravessar a dor. Algo que eu gosto de definir como cinema-terapia.

ALBERTO GEMMI

Alberto Gemmi (Reggio Emilia, Itália, 1984) estudou realização em Paris. Desde há alguns anos tem lidado com cinema experimental e vídeo-instalações, focando-se na interacção entre o som, imagens, e memória histórica. As suas experiências são desenvolvidas em volta de metragem abandonada e arquivos de filmes. Made in Heaven é o seu primeiro trabalho como realizador. Em 2010 realiza em Paris a curta Stuck Within apresentada tanto em Itália como em França. Em 2012 o seu documentário I Colonnelli di Roma é seleccionado para RIFF – Rome Independent Film Festival. O seu trabalho mais recente Go Burning Atacama Go ganhou um prémio no Lucca Experimental Film Festival e tem sido apresentado em outros festivais internacionais (Belgrado, Estugarda, Sarajevo, Milão, Roma, Bolonha).

BEFORE WAR
JARED KATSIANE

FF | 6’ | 2010 | EUA 

Boston, 1951, o tio Tommy faz filmes caseiros... depois leva a sua câmara enquanto sol- dado na Guerra da Coreia.

JARED KATSIANE

Jared Katsiane ensina produção de filmes a jovens no mesmo alojamento social, onde ele cresceu em Boston. Os seus filmes premiados têm sido apresentados em 450 festi- vais internacionais.

ABOUT PIGS
CARLOS SILVA 

DOC | 10’ | 2012 | Portugal

Um filme sobre crise, sobre economia, sobre sobrevivência, sobre ganância. Um filme sobre...

CARLOS SILVA

Carlos Silva nasceu em 1974 em Portugal. Estou audiovisual e fundou o Cine-Clube de Angeja. Colabora nos estúdios do Cine-Clube de Avança e é o responsável pela com- posição e montagem de vários filmes de ficção, documentário e publicidade, tendo já elaborado pós-produção de mais de 50 filmes. Terminou recentemente o curso superior de Cinema na ESAP (Escola Superior Artística do Porto).

ESTADOS DA MATÉRIA
SUSANA NOBRE

V | 14’ | 2006 | Portugal

Eles pensavam que a vida teria sido simples. Todas as obrigações, todos os problemas que implicam a vida material encontrariam uma solução natural. A cada manhã seria agradável sentarem-se na mesa da cozinha depois de um duche e, ainda sem estarem vestidos, tomariam o pequeno-almoço. Sobre a mesa haveria manteiga, potes de doce, torradas. Seria cedo. Seria o início de um longo dia de trabalho.

SUSANA NOBRE

SUSANA NOBRE (1974). Em 1998 termina a licenciatura em Ciências da Comunicação na Universidade Nova de Lisboa. Colaborou na formação do Laboratório de Criação Cinematográfica da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas onde participou em diversas produções de vídeos de arte encomendados pela Fundação Calouste Gulbenkian. De- senvolveu em 2004 com a produtora Raiva um Ateliê Sénior de Cinema (com apoio financeiro do ICAM/MC) destinado a pessoas de idade avançada e a partir de um trabalho sobre a memória. Frequentou no Verão de 2005, no âmbito do Programa de Criatividade e Criação Artística da Fundação Calouste Gulbenkian, o curso de Realização de Cinema com a colaboração da The London Film School. Leccionou a cadeira de Realização Cinematográfica na Escola Superior de Artes e Design de Caldas da Rainha em 2010. É sócia fundadora da empresa de produção cinematográfica TERRATREME FILMES criada em 2008, e associada da TERRATREME OFICINA – Associação Cultural, criada em 2012. Realizou os filmes As nadadoras em 2000, O que pode um rosto em 2003, Estados da Matéria em 2006 e Lisboa Província em 2010; actualmente prepara o documentário Vida Activa e coordena a série documental No trilho dos naturalistas - As missões botânicas em África, projecto de autoria de vários realizadores.

GOODNIGHT SOFIA
LEONARDO MORO

E/FF | 55’ | 2012 | Itália

Uma rapariga, depois de sofrer uma perda séria, anda pelas ruas vazias de uma cidade longínqua. Está sozinha e vulnerável. De onde é ela? De que está à procura? Os barulhos e luzes da cidade levam-na numa viagem dentro de si mesma, às raízes da sua dor.

LEONARDO MORO

Leonardo Moro nasceu em Spoleto, a 31 de Dezembro de 1985. Em 2010 cria a revista online “Brown Bunny Magazine”. Boa Noite Sofia é o seu primeiro filme.

PROGRAMA / SESSÃO 5

DIA 6 | 21H30 >24H00

UM DIA FRIO
CLÁUDIA VAREJÃO 

F | 27’ | 2009 | Portugal

UM DIA FRIO é um retrato de uma relação primeira, anterior ao mundo externo, a da família. Num Inverno em Lisboa, pai, mãe, filho e filha, traçam o percurso de um dia, a sós.

CLÁUDIA VAREJÃO

Nascida no Porto em 1980. Começou os seus estudos em cinema em Lisboa, primeiro como operador de câmara e mais tarde frequentou o curso de realização na Resart. Realizou também um curso intensivo em realização cinematográfica na International Film Academy em São Paulo e frequentou estudos avançados em cinema com German Film und Fernsehakademie Berlin, parte do Calouste Gulbenkian Foundation’s Creativity Program.

THIS IS FOR YOU
KAT STEPPE

FF | 15’ | 2012 | Bélgica

THIS IS FOR YOU lida com momentos nas vidas de outras pessoas, quando o tempo e o sentido de existência estão ausentes por breves instantes. A realizadora é fasci- nada por essas imagens de pessoas particulares e fracções de tempo, quando o relógio parece ter parado. ISTO É PARA TI é um filme sobre o aguentar e sobre a passagem do tempo causando muitas mudanças.

KAT STEPPE

Kat Stepee (1974) estudou cinema e arte. O seu filme de estreia BEDANKT EN MERCI (‘Obrigada e viva’) foi um documentário sobre o desaparecimento dos cafés populares em Westhoek, parte mais ocidental da Flandres, enquanto o seu segundo filme IK VER- GEET U NOOIT (‘Nunca te esquecerei’) retratava um antigo cemitério. Ambos os docu- mentários foram altamente aclamados por causa do seu aspecto visual e memorável fusão do conto popular, humor, e reflexão sobre coisas que já passaram.

SISTERS
LEA VIDAKOVIC

A/E | 8’ | 2012 | Sérvia 

Um tríptico de animação que evoca o ambiente de antigos quadros holandeses, onde irmãs estão presas em melancolia, enfrentando a perda e o vazio da ausente.

LEA VIDAKOVIC

Artista multimédia, trabalha no campo da instalação, performance e animação de ma- rionetas. É licenciada em Animação (2010), pela HVO, Noruega, licenciada pela Academy of Arts, Zagreb, Croácia, 2011. Mestre em Audiovisual Arts (2012) pela Royal Aca- demy of Arts KASK, Bélgica. O seu trabalho foi apresentado em várias exposições a solo e de grupo e festivais, e é vencedora de vários prémios de arte e filme. Membro da HDLU Association of Croatian artists e SULUV Association of artists from Vojvodina.

DECONSTRUCTION OF MEMORY
NATHALIE TEIRLINCK

E/FF | 14’ | 2010 | Bélgica

“Desconstrução da memória (reconstrução para um sonho” é melhor descrito como uma investigação visual pelo mecanismo da memória. Estes são despoletadas por som, uma imagem, um sentimento, uma cor, uma composição, e portanto são ilógicos, tácteis, e breves... Tanto imagens como som, o fugaz dos momentos perdidos é trazido de volta à vida e feito tangível através de um estilo narrativo sensual e associativo.
 

NATHALIE TEIRLINCK

Nathalie Teirlinck (1985) estudou cinematografia na KASK Art School em Gent, Bélgica. Graças a uma oportunidade dada pelo Fundo Flemish Audio-Visual foi capaz de completar o seu mais recente filme ‘Venus vs Me’. No início de 2010 o filme teve a sua estreia internacional no prestigiado Festival de Berlim, onde recebeu o European Film Award for Best Short. Entre outros, Nathalie também realizou vídeo musicais (Novastar, Admi- ral Freebee,...), filmes encomendados, vídeo-instalações e dois espectáculos de teatro produzidos por Malpertuis.

NÃO SÃO FAVAS SÃO FEIJOCAS
TÂNIA DINIS

DOC/V | 10’ | 2012 | Portugal

Conflito geracional de pessoas que vivem no campo, para o campo. A minha avó e eu.

TÂNIA DINIS

Tânia Dinis (1983) licenciou-se em Estudos Teatrais na ESMAE – Porto, trabalhando como actriz tanto no cinema como no teatro. Criou o Lap-dance, Calças de Fato de Treino e Female um ciclo de vídeo/performances e instalações sobre a mulher o nu e provocação. Dentro do mesmo projecto está enquadrado Não são favas, são feijocas, video/ performance sobre a mulher e o conflito geracional.

NIGHT OUT
RANI AVIDAN

E/DOC | 4’ | 2013 | Israel

Uma viagem por barulhos da noite.

RANI AVIDAN

Rani Avidan é estudante na Tel Aviv University. Este é o seu primeiro filme.

THE CONVERSATION
PIOTR SULKOWSKI

DOC/V/E | 16’ | 2012 | Polónia

Agnieszka and Janusz foram ambos condenados por homicídio. Escreveram um ao outro durante oito anos, mas nunca se encontraram... Até hoje, quando Agnieszka sai em precária e vai vê-lo pela primeira vez.

ANOTHER COLOR TV
THE YOUNGRRR

DOC/E/V | 9’ | 2010 | Indonésia

Another Colour TV é um documentário que mostra a interacção familiar que acontece diante de uma televisão, e como a televisão se torna uma forma capital de escape da realidade que enfrentamos. Este filme captura a situação da condição económica e cultural real de uma família suburbana na Indonésia, cuja mãe se torna o centro das atenções entre a família, mas ironicamente é deixada sozinha com a televisão como a sua única amiga em casa. Esta situação faz com que a mãe aja com os mesmos valores para com a família, de acordo com o que vê na televisão. Porém os outros membros da família têm outras fontes de valores do exterior, rejeitam sempre os valores da mãe.

THE YOUNGRRR

Youngrrr é um projecto colaborativo de produção de vídeos de Yovista Ahtajida (1992) e Dyantini Adeline (1991). Os dois frequentam o curso de Comunicação na University of Indonésia. São conhecidos como os videógrafos que construíram uma zona vídeo cha- mada ‘REC A GOGO’. Youngrrr também realiza vídeo arte. O seu trabalho tem sido apre- sentado na “Jakarta32 2012” organizada por Ruang Rupa com o vídeo “Macam-macam Pekerjaan Macam-macam” como resultado da oficina com Anggun Priambodo. O seu filme experimental ‘Another Colour TV’ (2013) apresentado no NOW WHAT #2 na Micro- scope Gallery, Nova Iorque e a obra de vídeo ‘Pick Up Motorz’ (2013) foi seleccionado para o OK Video 6th International Video Festival organizado por Ruangrupa em Jacarta.

TEARS OF INGE
ALISI TELENGUT

A | 5’ | 2013 | Canadá 

Uma profunda relação humana-animal e humana-natural por um mundo pintado cheio de emoções e lágrimas de camelo. O filme é baseado numa história veridical da Mongólia narrada pela minha avó.

ALISI TELENGUT

Alisi Telengut nascida em 1989 é licenciada em Animação Fílmica e está a frequentar um mestrado em Produção Fílmica na Mel Hoppenheim School of Cinema, Concordia University. Ela explora a animação com uma ténica por debaixo da câmara através da pintura, cores e texturas.

DIARY OF PAMPLONA
GONZALO EGURZA

E/FF | 17’ | 2011 | Argentina

Uma viagem a Pamplona nos inícios dos anos 70. Por de trás dos agradáveis diários de viagem, jaz uma história de amor e intolerância.

GONZALO EGURZA

Nascido em Buenos Aires em 1984 licenciou-se pela Universidad del Cine em Buenos Aires onde estudou realização. Dá aulas na mesma universidade nas disciplinas de Téc- nicas Audiovisuais e Técnicas Digitais. As duas relacionam-se com Filme Experimental e Vídeo Arte. É membro fundador do colectivo ARKHÉ, focado na pesquisa e gestão de trabalhos artísticos e produções audiovisuais. O seu trabalho audiovisual pessoal consiste em produções independentes como Filme Experimental, Vídeo Arte e Vídeo- Instalações. Os seus filmes e vídeos foram estreados no The International Shortfilm festival Oberhausen-Germany, Les Instant Video, BIEFF-Romania, Alchemy Film and Moving Image festival, International Super8mm Festival-Hungary, Ozu Film Festival, Centro Cultural Recoleta, Espacio INCAA, Fundación Telefónica, Centro Cultural Ri- cardo Rojas, Experiments in Cinema, Semana de Video Iberoamericano, entre outros. Recentemente foi premiado com o primeiro prémio no Independent Film Festival of La Plata 2011 e com o Argentinean creation award na Bienal de la Imagen en Movimiento (BIM) 2012.

RASTROS
JEYMER GAMBOA e FRANCO CASTRO

E/FF | 15’ | 2013 | Argentina

Ensaio de um road movie que combina filme familiares encontrados e distintas técni- cas de intervenção sobre o material fílmico. Entrecruza o suporte de vídeo digital com o analógico. Tem uma linha narrativa mínima: um homem viaja da cidade para o campo enquanto se alternam filmagens amadoras com motivos familiares que se vão destru- indo ou degradando ao encontro da abstracção, à medida que o automóvel avança.

JEYMER GAMBOA

Jeymer Gamboa nasceu em 1980 em Santa Cruz de Léon Cortés, sul de San José, a capital da Costa Rica. Licenciado em jornalismo e produção de filmes na University of Costa Rica, integra Bisonte Producciones, um colectivo de cinema na Costa Rica. Vive desde há seis anos em Buenos Aires, Argentina, onde estudou Design de Imagem e Som. Entre outras curtas já realizou; “De cómo mirar a través de una ventana con ladrillos”, “Marino de tierra” e “Rastros”. É autor do livro de poesia Días Ordinarios.

FRANCO CASTRO

Franco Castro nasceu em Chilvicoy em 1984, e estuda Design de Som e Imagem na UBA. Trabalhou em curtas como “Última Vuelta”, “Otro cielo” and “Trotamundo”, e editou o premiado documentário Horneros.